Em debate, Hildon Chaves mostra trabalho e responde a ataques de candidato petista

compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on print

Um dos principais pontos de divergência entre os candidatos Hildon Chaves (PSDB) e Ramon Cajui (PT) no debate transmitido pela SIC TV na noite de quarta-feira (4) foi em relação à Caerd. O petista defendeu a manutenção dos serviços pela companhia, enquanto Hildon Chaves, que concorre à reeleição com o número 45, afirmou que recorrerá à Parceria Público Privada (PPP) para que a população de Porto Velho tenha acesso a água tratada e saneamento básico.

No debate o candidato Cajui insistiu em manter a Caerd como concessionária obedecendo à estratégia do próprio PT. Em 2009 o então prefeito Roberto Sobrinho (PT) entregou à Caerd a concessão dos serviços de água e esgoto por 30 anos. Nesse período o PT se instalou na companhia através da gestão compartilhada, aumentou salários de forma absurda e com isso ajudou a quebrar a empresa.

“Desde a primeira conversa que mantive com o presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff sobre o tema, levei em conta o compromisso que eu tenho com a população da Capital e com os trabalhadores da Caerd que agora passa a ser superavitária. Deixamos de lado as divergências políticas, tornando possível a realização do sonho de a cidade contar com 100% de água tratada e 75% de esgotamento sanitário”, disse Roberto Sobrinho, na ocasião, através de sua assessoria de imprensa.

Cajui foi infeliz em explicar à sua maneira que a desestatização dos serviços públicos prejudicaria a população. Ele comparou a Caerd com a Ceron, dizendo que se a empresa fosse vendida a população pagará contas muito altas. Com paciência, Hildon Chaves esclareceu ao candidato petista que a situação da Caerd e da Ceron são muito diferentes.

Hildon Chaves lembrou que a promessa petista não se concretizou, e que hoje a Caerd atende apenas 20% de Porto Velho com água tratada e 2% com esgotamento sanitário.  “A Ceron já levava energia a grande parte da cidade. A empresa que receber a concessão de água tratada e esgoto terá que fazer sua rede de abastecimento de água e coleta de esgoto para atender os moradores”, comparou Hildon Chaves.

O Plano Municipal de Saneamento Básico(PMSB) da Prefeitura de Porto Velho já está pronto. É necessário um investimento de R$ 2 bilhões. As três maiores empresas da América Latina já apresentaram estudos em relação a essa situação, demonstrando interesse em atender Porto Velho.

Um outro ponto de divergência foi a retirada do Ipam das antigas instalações. O candidato petista demonstrou desagrado com a mudança das instalações para um prédio alugado. Hildon Chaves explicou que é impossível verificar a viabilidade de reformar as instalações com os funcionários dentro.

compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email